quarta-feira, 28 de dezembro de 2011






Prisioneiro do tempo fui ficando...
De mim mesmo prisioneiro
Do passado que trago dentro de mim.

De ti todos os perfumes...
...Saudades de todos os momentos
Encantos transformados em saudades.

Tempos que navegam prisioneiros  da vontade da vida.

sábado, 24 de dezembro de 2011


Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro,
eles alçam vôo como de um alçapão.
Eles não têm pouso nem porto;
alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mário Quintana


sexta-feira, 23 de dezembro de 2011






"... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Miguel Sousa Tavares

terça-feira, 20 de dezembro de 2011


 Hefil

“Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; se não houver flores, valeu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção.  -

domingo, 18 de dezembro de 2011



Saudade olhar da minha vida
Asas da dor e dos meus pensamentos
Gemidos abafados
Saudade do que já foi
Asas dos meus pensamentos.
Gemidos que não  acabam mais.
Voam ...

Documentário: Sobre a destruição da natureza pelo homem



Não...... o mundo não vai acabar,
a vida das pessoas sim vai acabar.
Portanto, não é o fim do mundo...
Ë o NOSSO fim.

Ao assistir o documentário desligar o som no play
ao lado direito ( mixpod.com ).
Dois clique no filme e poderá assistir em tela cheia e com tradução.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011


Soneto da separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente

Vinicius de Morais


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011


Me acostumei a ser feliz e alaguei meu coração de esperança....
E agora !!!

Esp


sábado, 10 de dezembro de 2011




Grande interpretação de Andrea Bocelli em Ave Maria com lindas pinturas( Madona and Pieta de Michelangelo. Lindo !!! Lindo !!!



Ao assistir o vídeo poderá temporariamente desligar o play list  do blog no microfone  mixpod. com no lado diretio do mesmo.

 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

segunda-feira, 21 de novembro de 2011



Ouse sonhar... pois, só os sonhadores vêem o amanhã.
Ouse fazer um desejo,
porque desejar abre caminhos para a esperança
acredite em si mesmo...
porque dentro de você reside toda a magia...

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'




Amei Demais Madruguei demais. Fumei demais. Foram demais
todas as coisas que na vida eu emprenhei.
Vejo-as agora grávidas. Redondas. Coisas tais,
como as tais coisas nas quais nunca pensei.

Demais foram as sombras. Mais e mais.
Cada vez mais ardentes as sombras que tirei
do imenso mar de sol, sem praia ou cais,
de onde parti sem saber por que embarquei.

Amei demais. Sempre demais. E o que dei
está espalhado pelos sítios onde vais
e pelos anos longos, longos, que passei

à procura de ti. De mim. De ninguém mais.
E os milhares de versos que rasguei
antes de ti, eram perfeitos. Mas banais.

domingo, 13 de novembro de 2011

Fernado Pessoa


Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças ......
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

sábado, 12 de novembro de 2011

 José Saramago


Fisicamente, habitamos um espaço, 
mas, sentimentalmente, somos habitados 
por uma memória.

domingo, 23 de outubro de 2011



Hoje faz um mês que o meu querido Rui se foi e é muito duro saber não mais vê-lo com a sua alegria e sua maneira especial de ser.
Onde estiveres meu querido que estejas junto dos que amaste e te amaram para sempre.
Um grande beijo e saudades eternas

sábado, 22 de outubro de 2011


Preciso de um tempo para ser Triste...

Preciso um tempo para Sofrer...

Preciso um tempo comigo mesmo para depois florescer.

Este tempo ainda não sei à medida que tem...

É a medida de meu Sofre.
....



terça-feira, 11 de outubro de 2011



Era um rosto
na noite larga
de altas insônias
iluminada.

Serás um dia
vago retrato
de quem se diga:
“o antepassado”.

Eras um poema
cujas palavras
cresciam dentre
mistério e lagrimas.

Serás silencio,
tempo sem rastro,
de esquecimentos
atravessado.

Disso é que sofre
a amargurada
flor da memória
que ao vento fala.

Cecília Meireles

domingo, 10 de julho de 2011



E Por falar em Vida...

As coisas mais importantes na vida
não são coisas.   

Anthony J. D'Angelo

sexta-feira, 8 de julho de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011



Ter problemas na vida
é inevitável; ser derrotado por eles
é opcional.

Há quem acredite...

sábado, 2 de julho de 2011


Quando eu ouço alguém suspirar:
"A vida é dura",
eu sempre sou tentado  a perguntar:
"Comparada  a quê?

Sydiney J  Harris

sábado, 4 de junho de 2011


Amo como ama o amor.
Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar.
Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te,
É que te amo?

quarta-feira, 25 de maio de 2011




Entre um e outro
Entre mim e o que há em mim
Existe algo que talvés saiba, mas que por vezes nem eu sei.
O que realmente há e o que faz-me pensar que sim.
É tudo imginação, é tudo uma leve impressão.
Parto e deixo aqui a minha intensão de um dia ser.

sexta-feira, 20 de maio de 2011






And again I belive ...

"(...) And again I belive that we don't really lose anything that is important. We only deceive ourselves, thinking that we own things, the instants, the others. Along with me go all the dead people I loved, every friend that step away, every happy days meanwhile gone. I didn't lose anything, only the illusion that everything could be mine forever."

Miguel Sousa Tavares

“... E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Excerto de 'De noite'
- Miguel Sousa Tavares
em “Não te deixarei morrer David Crockett"



terça-feira, 17 de maio de 2011



Quando meus olhos fecho...
Vejo-te em meus sonhos.
             Sonho que dobro em laços...
              Braços que te enlaço.
Qual sonho...
Qual laço. " * "

segunda-feira, 16 de maio de 2011



NUNCA MAIS

Passa um dia,
e outro a correr atrás dele
e outro e outro...

O tempo a todos impele,
tal o vento
levando, em doida correria,
revoadas de folhas outonais,
folhas de calendários sempre iguais,
uma a uma arrancadas,
perdidas nas estradas...

Nunca mais... Nunca mais...

Saúl Dias
in Essência



 EZRA POUND  

"Minhas intenções eram boas,
mas enganei-me na maneira de alcançá-las.

 Fui um estúpido.

O conhecimento me chegou tarde demais...
Muito tarde me chegou a certeza de nada saber..."

sábado, 14 de maio de 2011




Demasiado Tarde

Há coisas bem piores
do que ser sozinho.
mas às vezes levamos décadas
para percebê-lo.

E ainda mais vezes
é demasiado tarde.

E não há nada pior
do que demasiado tarde.

Charles Bukowsky

terça-feira, 10 de maio de 2011



Que os raios de Luz não ofusque o brilho das pessoas que convivo, mas que sirva de guia para ajudar a iluminar os seus caminhos...

segunda-feira, 9 de maio de 2011




De todas as palavras que dizes

ainda não sei quais são as verdadeiras.

Mas não importa...

Também não sei quais das minhas verdades te conto.


domingo, 8 de maio de 2011

Para Sempre – Minha Mãe





 
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.

Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.








Oh minha Senhora e também minha mãe,
eu me ofereço inteiramente todo a vós,
e em prova da minha devoção,
eu hoje vos dou meu coração.

Consagro a vós meus olhos
meus ouvidos, minha boca
tudo o que sou, desejo que a vós pertença.
Incomparável mãe,
guardai-me e defendei-me

Como filho e propriedade vossa. Amém!



quinta-feira, 5 de maio de 2011


Quero laços com pessoas que me fazem bem,
que saibam de ternuras, que entendam de Amor e Perdão.

Porque se a vida é mesmo esse instante, que a gente faça uma eternidade de delicadezas lhe caber.


terça-feira, 3 de maio de 2011







"Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando
porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu."
(Luiz Fernando Veríssimo)

domingo, 1 de maio de 2011


Que os reflexos das minhas ações ilumine minha alma e arraste as pessoas que me querem  bem e as que não me querem também...

sábado, 30 de abril de 2011


Sonhando vivi.
De sonhos continuo a viver...
Durmo para sonhar...
Acordo para te ver.

Que eu possa caminhar através dos meus pensamentos e das minhas ações, sabendo  que este é apenas o meu caminho e que cada um tem o seu...

segunda-feira, 7 de março de 2011



A tua gente também é a minha gente, gosto de cada bocadinho desta linda terra que adotei.
Tu és linda!!!
Tu és encantadora linda menina!!!
Estou apaixonada por Ti Guimarães.


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011



A vida é curta.
Quebre regras, perdoe rapidamente,
Beije lentamente, ame de verdade,   ria descontrolavelmente,
E nunca pare de sorrir, por mais estranho que seja o motivo.
E lembre-se que não há prazer sem riscos.
A vida pode não ser a festa que esperávamos,
Mas uma vez que aqui,
Temos que comemorar!!!

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Fernando Pessoa 

Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.


E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.


E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011



G U I M A R Ã E S



Com a proximidade de minha despedida  desta linda cidade ao norte de Portugal para um doutoramento, mas do que justo esta lembrança.
 Com a certeza de uma volta em breve para dar continuidade ao projeto, apenas um até já.

Aqui nasceu pequeno, mas pujante,
Um reino d' homens feitos de coragem
E que ao crescer, nobreza por linhagem,
Ousou, foi aguerrido, triunfante.
A Guimarães se vem, como em romagem,
Lembrar, de tempos idos, um Infante,
Que nunca, a qualquer rei, por humilhante,
Cedeu, nem mesmo à mãe, em vassalagem.
Daqui saiu, num tempo já distante,
Nos rumos do poente e do levante,
Qual gênio perseguindo uma miragem.
E o nome - Afonso Henriques - fez gigante
Com feitos duma audácia deslumbrante,
Tornando gigantesca a sua imagem.

Vítor CintraNo Livro: MURMÚRIOS

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Helena Kolody in ‘Caixinha de Música’



A esperança engana.
Mente o sonho.
Eu sei.

Que mentiras lindas
eu mesma inventei
e contei pra mim ...

O Dom de Sonhar


Adelmar Tavares

Não sei porque, quando canto,
por mais alegre a canção,
tem uma gota de pranto
que vem do meu coração.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Fóssil


                        Poema transcrito do Médico e Amigo Rogério Brandão



Em vão procurei-me.
Não me encontrei, por certo:
Páginas remotas, em branco assinada!


Se existo, não sei...creio ser, porém.
Deve existir registro de mim em algum lugar
       ( que desconheço)
Ainda que tele-meta-físico


Serei alma apenas?
( ouço murmúrios e citações a meu respeito)
Contudo vagos, longínquos, fugazes...)

Terei eu morrido?
(mas...o que é morrer para quem não existiu, vida?
O que é partir se não há destino? )

Sou... contudo, nem sei!
De que vale ser então?...
Melhor é partir de vez.
mesmo sem rumo, certeza, vestígios ou refúgio
        sem vinculo, perdido, ausente, rompido...
        sem ancestralidade nem descendência
        ignorando, subtraído, inexisto...

Fui!...
(porem)
Sem jamais ter sido!




quinta-feira, 27 de janeiro de 2011


(F. Campanella)


Ao vento


Fica comigo, mas não posso pedir ao vento
que sopre ao alcance de meu ouvido,
ou à terra que abençoe nossos longos segredos
-nem mesmo da luz querer ouso
que se demore em meu abrigo.

Quando os dados lançados e até meu silêncio
contra toda certeza parecem que conspiram
- e caso os dedos do mundo
em suas recurvas unhas nos firam -
releva, e fica comigo, os anjos sabem mais alto
daquilo em que insisto, do que preciso.

domingo, 23 de janeiro de 2011




Nós dias de chuva quando a noite chega sinto certa melancolia.
Gosto de me enroscar nos lençóis e fico paralisada
até que o dia se inicie novamente,
Agora já com as ruas lavadas, sinto-me também renovada.
É justo e todo o resto é falso.